Cartão de crédito para negativado

[Aula 2 de 36]

Atualmente o sistema de análise de crédito da maioria dos bancos tem sido muito MENOS rigoroso do que antes.

Ainda que o número de inadimplentes representa 39,5% dos brasileiros adultos, é importante saber que essas dívidas são consideradas relativamente baixas.

Publicidade


O valor médio de cada conta em atraso é de R$ 1.162,43, segundo pesquisa divulgada pela Serasa em junho de 2021.

Portanto, existem três perguntas que o banco quer saber sobre você, para que ele decida se vai te liberar crédito ou não.

Publicidade

Atualmente estas questões têm mais relevância do que unicamente a consulta do CPF e do Score. Veja abaixo quais são:

Publicidade


  1. “Será que é um cliente seguro?”
  2. “Este é um cliente que movimenta a conta?”
  3. “Será que é um cliente que vai crescer com a gente?”

Como já dissemos, as respostas vão interferir na liberação ou não do crédito para você.

E se você não sabe como ser avaliado de forma positiva nestas questões, nós vamos te explicar mais detalhadamente a interpretação de cada delas uma abaixo:

1. Refere-se aos seus gastos e pagamentos

 

Publicidade


O banco quer entender como é a movimentação do seu dinheiro. Ou seja, quanto você recebe e quanto você gasta.

Publicidade

Por isso, é importante deixar seus recebimentos passarem pelo banco para então fazer o pagamento das contas.

Desta forma, o banco entende que você é uma pessoa que vai usar bem a plataforma dele, gerando uma segurança maior em relação à quitação dos possíveis créditos liberados.

2. Refere-se ao hábito de recorrer ao banco

 

Publicidade


Usar o banco para movimentar seu dinheiro nas compras do dia a dia, além consumir os serviços que o banco oferece evidencia um possível crescimento na sua vida financeira em parceria com o banco.

Entre as transações podemos citar: uso do aplicativo, ativação da chave Pix, uso de recursos como “boletos eletrônicos”, cartão de débito, entre outros.

3. Refere-se aos gastos crescentes

 

Utilizar os serviços do banco com frequência movimentando uma quantia maior gradualmente. Isso pode ser possível com uma renda extra, por exemplo.

Publicidade
Publicidade


Essa movimentação mostra que você está se desenvolvendo, e mais cedo ou mais tarde vai precisar de uma parceria com o banco para crescer ainda mais.

Além destas três questões respondidas acima, tem uma quarta, que é:

4. Extra: não informe uma renda maior que a sua

 

Embora alguns bancos não exijam a comprovação de renda, informar um valor muito acima do que você realmente ganha pode causar conflitos na hora de realizar a análise.

Publicidade


Na próxima aula, ainda no Modulo 1, você vai entender como os bancos te veem, com um diagnóstico da sua vida financeira. Te espero lá!